Skip to content

Azazel

AZAZEL, também conhecido como ZAZEL, SAMYAZA, SAMYAZAZEL, SHAMGAZ, SHEMYAZA, SHAMYAZA, SHEMIHAZAH, SHAMASH (Babilónia), UTU (Suméria, O Iluminado) *, SAMAS (em acádio), BABBAR (Suméria), Ashur (Asíria), SHAMIYAH (Hathras), SEMJAZA.

  • Signo: Capricórnio/Aquário (ambos em 1-10 graus
  • Carta de Tarô: Ás de Espadas
  • Planeta: Saturno, o Nodo Sul (Cauda do Dragão)
  • Cor das velas: Azul, Preto
  • Metal: Chumbo
  • Elemento: Ar
  • Símbolos: A águia e o escorpião; O Faravahar (ver abaixo)
  • Número: 20
  • Ranque: Portador Chefe do Estandarde do Exército Infernal
  • Azazel trabalha diretamente com Satan, ele é responsável pela segurança no Inferno.

* A descrição acima, ele ditou para mim, pessoalmente.

Suma Sacerdotisa Maxine Dietrich:
Eu conheço bem Azazel e sou muito próxima dele. Ele é um Deus de altíssima patente e importância. Ele tem 2,20m de altura, bem musculoso com cabelo loiro claro que passa dos ombros e sedoso. Ele tem olhos cinza azulados penetrantes. Ele é muito poderoso e dedicado a Lúcifer. Ele exige 100% e pode ser sério e rigoroso. Ele interagiu intimamente com seres humanos e educou-os nos tempos antigos. **Azazel NÃO é Paimon como alguns dos Grimóirios de abuso alegam. Ambos são Deuses diferentes. Azazel é um príncipe, Paimon é um rei. Azazel é de altíssima patente; MUITO próximo de Lúcifer. Ele diz que tem cerca de 60 mil anos terrestres de idade.

Azazel trabalhou extensivamente comigo nesta página. Ele me levou a muitas referências e recursos (listados abaixo) diferentes. Ele me disse para mencionar o “Código de Hamurabi”, e que o conteúdo deste documento foi drasticamente alterado ao longo dos séculos e o que temos agora não se assemelha em nada ao original. Azazel defende justiça e de nenhuma forma advoca submissão ou dar a outra face.

Embora existam algumas alegações de Azazel ser casado com várias Deusas, isso é impreciso. Azazel desposou uma mulher humana há cerca de 10.000 anos atrás.

Azazel não queria que se soubesse disso até recentemente, mas ele e sua irmã gémea Astaroth são filhos de Satan, e não netos de Belzebu. Ambos Azazel e Astaroth são muito próximos. A pintura ao lado é como ele sempre aparece para mim.

Azazel é um Deus guerreiro de justiça e verdade. Suas cidades eram Sippar, uma antiga cidade acádia na Cijordânia do Eufrates, norte da Babilónia, e Larsa/Ellasar da Suméria. Sippar fica a 32 km a sudeste de Bagdá no Iraque. Sippar foi uma das primeiras cidades estabelecidas pelos Deuses.

“O nome sumério de Elasar é dado como Ararwa, aparentemente por Arauruwa, o ‘alicerce da luz’, que de facto é o significado do grupo ideográfico com a qual está escrito. As ruínas desse antigo local agora são conhecidas como Senqara e se encontram na margem leste do rio Eufrates, a meio caminho entre Warka (Erech) e Muqayyar (Ur dos caldeus).

Além do nome Larsa, parece também ter sido chamada Aste Azaga, ‘o santo (puro, brilhante) assento’ (ou trono), e ambos os seus nomes o eram aparentemente por terem sido um dos grandes centros babilónicos de culto ao Deus-Sol.

Como a maioria das principais cidades da Babilónia, ela teve um grande templo-torre chamado E-dur-an-ki, ‘casa do vínculo do céu e da terra’. O templo da cidade tinha o mesmo nome do que está em Sippar, ou seja, E-Babbar, ‘Casa da Luz’, onde o Deus-Sol Samas era adorado. Este templo foi restaurado por Ur Engur, Hammurabi (Amraphel), Burna-Burias, Nabucodonosor e Nabonido. Entre as tabuletas encontradas neste sítio pela Loftus, havia o que dá medidas de comprimento e raízes quadradas e cúbicas, apontando o lugar como um dos grandes centros de ensino babilónico. Além dos restos desses templos, existem vestígios das paredes, e os restos de casas dos cidadãos. A cidade foi a primeira governada por seus próprios reis, mas tornou-se uma parte do império babilónico algum tempo depois do reinado de Hammurabi.” ¹

Azazel é o Deus da justiça e vingança. Ele é mestre das Artes Negras e protector dos viajantes. Seu símbolo, o faravahar (mostrado à esquerda) representa liberdade de escolha e protecção. O faravahar é o disco alado original.

Ele foi o líder rebelde dos Igigi. Azazel é também o Deus da adivinhação e foi consultado por diversos videntes. Como Divindade Chefe de Hathras, ele era conhecido como Shamiyah. Note os chifres na foto da escultura à esquerda.

Juntamente com seu avô Belzebu, ele controla o tráfego aéreo dos Deuses, vestindo seu símbolo da águia.

“Em Bad-Tibira, estabelecida como um centro industrial, Enlil colocou seu filho Nannar/Sin no comando; os textos falam dele na lista de cidades como Nu-gig (Aquele do céu noturno). Lá, acreditamos que os gémeos Inanna/Ishtar e Utu/Shamash nasceram – um evento marcado por associar seu pai Nannar com a próxima constelação zodiacal de Gémeos. Como um Deus treinado em astronáutica, Shamash foi designado à constelação Gir (significando tanto ‘foguete’ como ‘as guarras do caranguejo’ ou Câncer), seguido por Ishtar e o signo de Leão, onde ele era tradicionalmente mostrada montando-o.” ²

A bíblia judaico-cristã alega que “Azazel ensinou o homem a fazer espadas, facas, escudos e armaduras.”

Os grimórios de abuso espiritual afirmam que Azazel seja um génio que trabalha com metais, mineralogia e geologia. Isso é simbólico. Ele é mestre da alguimia, ou seja, alquimia espiritual, que tem a ver com transformar os elementos na alma humana, absorvendo energia da terra e trabalhando com a espiritualidade terrestre. Cada um dos sete chakras é representado por um metal específico. Azazel trabalho com discípulos dedicados de Satan para atingirem a Divindade.

Todo o exposto acima é espiritual. A alegação bíblica é distorcida. As “espadas, facas, escudos e armaduras” são todas armas espirituais. Ele é um especialista em planetas, constelações e astrologia. Ele também é bastante perito em artes, consmética, artesanato de ornamentos e joalheria. Azazel cria beleza.

SIGILO PRINCIPAL DE AZAZEL

SIGILO SUMÉRIO DE AZAZEL

Azazel levou-me a muitas informações detalhadas que são extensivas. Ele também tem mais de dois sigilos dos quais estarei a postar no sítio. Adicionarei mais informação a esta página posteriormente.

*Muitos dos Deuses originais eram chamados de “Os Iluminados” por causa de suas auras poderosas.

Referências:
¹ International Standard Bible Encyclopedia
² The 12th Planet, por Zecharia Sitchin © 1976

Outras referências:
Religion in Ancient Mesopotamia, por Jean Bottéro, traduzido por Teresa Lavendar Fagan, University of Chicago Press, © 2001
An Illustrated Dictionary, Gods, Demons and Symbols of Ancient Mesopotamia, por Jeremy Black e Anthony Green, © 1992
Mythology of the Babylonian People, por Donald A. Mackenzie © 1915


卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐 卐


Azazel: Informação Hierática

Os conhecimentos apresentados nesta página são avançados e contém informações para quem deseja conhecer Azazel a fundo. Há também o conteúdo de conhecimento hierático [profundamente espiritual], como os Nomes Divinos de Azazel.

No que diz respeito a informações adicionais sobre Nomes Divinos, estes são Nomes que são os Nomes Divinos numerologicamente corretos para usar para Convocação e Invocação:

Nomes Divinos:

  • Azazi-il [pronuncia-se AZAZ-I-IL],
  • UDDTHU [U-D-U]*
  • PAIANA [PE-ANA]*
  • APOLON [A-PÓL-ON]
Símbolos Divinos:

  • Lira (instrumento musical)
  • Disco Solar
  • A letra “E”
  • Arco Dourado
  • Flecha dourada
Números e atributos divinos:

  • Números: 5, 7, 20, 36*
  • RunAs: Sowilo, Raidho, Kenaz*
  • Signo de Poder do Zodíaco: Escorpião [Graus de Ofiúco ]*
  • Símbolos animais divinos: Píton [espécie de cobra], Gavião, Pomba, Golfinho*, Cotovia do Norte*

Salmo de Azazel (a ser adicionado em breve):

Honorary/Invocatory

Psalm to Azazel

*Não há problema em se referir casualmente a ele como Azazel na fala linear. Azazel é de origem árabe. Os Nomes Hieráticos estão acima e darão o melhor contato para trabalhos espirituais, como invocação.

Conhecido como: AZAZEL e ZAZEL, APOLO (grego; Deus do Sol Iluminado), Mithra (romano), Mitra/Surya (Período Védico), LUGUS/LUGH (irlandês/galês), SHAMASH (babilônico), UTU (sumério; “O Iluminado”),* SAMAS (acadiano), BABBAR (sumério), Ashur (assírio), SHAMIYAH (hathra), SAMYAZA, SEMJAZA, SEMIHAZAH, SEMIHAZAI (da forma como ele aparece em um monte de literatura inimiga, tirada de nomes e títulos do Oriente Médio do Deus).

Azazel é um desses Deuses que foram os mais populares no mundo antigo. Um Deus de longa data e muito poderoso, ele foi seguido por todos os povos das antigas civilizações.

O Senhor Azazel é um Deus de harmonia, majestade, beleza, arte e alta espiritualidade. Sua forte associação com o Sol é um princípio que se encaixa fortemente em sua estátua e natureza. Em todas as suas manifestações, ele foi um Deus de Justiça. Ele defende fortemente as pessoas “pagarem suas dívidas” e “receber o que lhes é devido”, de uma forma cármica.

Azazel deu muitos presentes à humanidade. Em muitas línguas, ainda sobrevive a frase “Nada permanece escondido sob o Sol”. Utu, o nome sumério do Deus, é creditado por ser capaz de ver “tudo o que acontece no mundo”, mas também observar as relações entre as pessoas. O Oráculo de Apolo era consultado na Grécia Antiga, sobre a solidez das leis e sistemas jurídicos, para que não fossem errados ou abusivos para os cidadãos. [1, 2]

Ao lado de muitas outras divindades pagãs em muitos Panteões, ele era adorado pelos Gregos Antigos e muitos outros sob o nome muito famoso de “Apolo”. Apolo não é o Deus específico do Sol no céu como um corpo celestial, mas representa a majestade e o poder do Sol. O Sol literal nos céus é o Deus “Helios” no grego antigo. Helios, também foi usado como um título para Azazel, como em “Helios Apollo” ou “Apolo do Sol”, para significar seus principais poderes e alta posição espiritual.

Os poderes de Apolo são muitos, mas centrados nas artes, música, medicina e profecia. A profecia é uma prática muito elaborada, envolvendo todas as artes divinatórias, com as quais confere a alguém a capacidade de contar o passado, o presente ou o futuro. Cada um desses poderes tem muita profundidade e análise. Seria necessária uma enciclopédia para explicar tudo sobre Ele, pois Apolo é muito rico em mistérios e conhecimentos. [3]

Como Mitra, durante a época dos romanos, ele foi o patrono dos mistérios de Roma. Lá, novamente, ele estava fortemente associado ao Sol. No mitraísmo, havia 7 níveis de iniciação. Na literatura védica, ele era chamado de “Mitra”, novamente fortemente associado ao Sol e à manutenção de juramentos.

No simbolismo do Mithra romano, podemos ver Azazel dando a iluminação, as leis e dando a mão como um gesto de ajuda para o iniciado. Seu símbolo como Apolo, o da Píton [também relacionado à Kundalini] está sendo apontado pelo iniciado, à direita.

Na mesma representação, Azazel aqui aparece armado, segurando em uma das mãos a espada. Por outro lado, ele se comunica com o discípulo humano de maneira amigável. Também vemos um discípulo, sendo “elevado” ao lugar do Deus, que parece estar em uma montanha ou nuvem.

O gorro frígio usado pelos iniciados é um símbolo muito importante dos ritos mitraicos. Simboliza a abertura da consciência. Como em muitas de suas representações, ele tem uma auréola e um Disco Solar em volta da cabeça.

O abate do touro simboliza muitas coisas. A morte do touro, em uma perspectiva cotidiana, é um símbolo do controle sobre os impulsos criativos da pessoa. Na inscrição à esquerda, também vemos os Deuses Sol e Lua, simbolizando a União [unificados por Mithra e o Touro].

Apollo está fortemente associado aos raios solares, ao brilho do poder espiritual. Os títulos dados ao Deus foram muitos, extensos e muito estimados e honrados. Como Apolo, ele recebeu centenas de epítetos de glorificação. Ele é um “Deus da Música”, sendo o significado oculto desta a música das esferas planetárias ou dos níveis superiores da existência, representada pelas sete oitavas musicais. Estes representam os níveis crescentes em direção à iluminação para o ser humano individual. [4]

Nos mistérios mais aprofundados, Apolo é o mais sábio professor das Artes da Alquimia e dos trabalhos da luz da alma. Como Apolo, seu instrumento é a Lira, o conhecimento de todas as dimensões do mundo simbolizadas por cada uma das sete respectivas cordas da Lira, todas correspondendo a um dos 7 chakras principais. Como resultado, Azazel/Apolo foi denominado pelo antigo filósofo grego Plutarco como o “inventor da música”, ao lado de Hermes/Thoth que criou seus instrumentos líricos. Os dois Deuses também compartilham um relacionamento muito próximo, baseado em uma forte amizade. Apolo pode curar através da música, um simbolismo para o canto correcto de mantras na alma, mas também música literal. Essas “canções” foram chamadas de “Pe-ans” pelos Gregos Antigos. [5]

Seus ritos, que eram purificadores, tratavam do poder do sol para purificar a alma humana. Além disso, ele era conhecido por possuir habilidades proféticas excepcionais e conferir o dom de olhar para o futuro ou amplos poderes proféticos, sendo ele mesmo um Deus que é um adivinho mestre. Essas habilidades vêm da purificação e elevação espiritual da Alma, fazendo uso do conhecimento dos Deuses. [6]

Plutarco, o mais proeminente filósofo grego e teólogo pagão, escreve sobre nosso estimado Deus em sua obra “Acerca do Épsilon de Delfos” (tradução livre de On the E at Delphi/In regards to the Greek Epsilon of Delphi, sem tradução no português):

“Nosso amado Apolo cura as angústias de nossas vidas, resolvendo-as dando oráculos a todos aqueles que lhe perguntarem, enquanto ele mesmo se instala dentro de nós e desperta nos filósofos anseios espirituais de fazer as perguntas necessárias para o conhecimento correto [logos] – ele faz isso abrindo nossa alma para a verdade, algo óbvio em muitas outras coisas [relativas ao Deus], ​​mas também óbvio em sua escolha da letra E para representá-lo.” [7]

A pronúncia da letra “E” era o que se dizia ao entrar e sair do templo de Apolo em Delfos. A escolha desta letra foi considerada um grande mistério do Deus. A letra era pronunciada exatamente como a palavra “Hey” de hoje, uma saudação comum entre pessoas que falam inglês, mas também outras línguas. A palavra “Ei” em grego antigo [que era usada para a saudação dentro do Templo de Apolo], porém, tinha outra noção espiritual. É traduzida como “Aquilo que realmente é”, uma sublime parábola do poder de “existir”. [8] A letra E também é fortemente simbolizada em seu sigilo. A relação entre a letra E e seu templo é ilustrada claramente aqui na moeda:

Templo de Apolo em Delfos, Reconstrução
Moeda simbólica do
Templo
As ruínas do templo em Delfos, Grécia atual.

Na entrada do Templo de Delfos, havia inscrições de sabedoria. Três deles estavam na entrada.


A Primeira: “CONHECE A TI MESMO”:

Uma das mais importantes declarações ocultistas, adotada por milhares de anos por todas as escolas de mistérios. Aqui, Apolo descreve a importância da meditação e do autoconhecimento. Sem autocompreensão, não há sabedoria.

A Segunda: “NADA EM EXCESSO”:

Excesso aqui descreve uma situação de desequilíbrio e falta de harmonia em ambos os lados da falta de algo, ou superabundância que causa desarmonia e, portanto, dano. Esse “excesso” também é uma palavra-código para o equilíbrio da alma.

A Terceira: “Jura [certeza], Daí Calamidade”:

Esta afirmação se traduz em “Uma promessa, depois uma calamidade”. Esta é a mais enigmática das três afirmações. Esta afirmação adverte fortemente contra a ilusão de uma falsa certeza, que pode mais tarde trazer uma calamidade. Ele avisa para não “se comprometer” com rumores ou falsos ideais. Se os cristãos sequer prestassem atenção a este conselho…


Voltando aos Juramentos, Mithra também foi fortemente identificado, como todos os outros nomes de Azazel, com a capacidade de fazer juramentos e mantê-los. Os juramentos não se relacionam apenas aos juramentos literais, mas aos juramentos de silêncio nas escolas de Mistérios Antigos. Como Lugus para os irlandeses, ele também era o Deus da iluminação vibrante e o guardião dos juramentos. As mesmas são as relações em sua identidade védica como Mitra. [9]Hoje, uma prática muito comum de fazer um Juramento aos Deuses, é o Juramento onde todos os médicos fazem [claramente associado aos poderes de cura de Apolo/Azazel], o Juramento de Hipócrates. Apesar do que os médicos modernos seguem em suas práticas, o juramento é verdadeiro e obrigatório.

Na “demonologia” moderna, Apolo foi caluniado como “Apollyon” e aparece como tal em muitos “Grimórios”. Isso é uma blasfêmia e a palavra Apollyon significa “aquele que vai embora” ou “aquele que é jogado fora”. Esta alusão também é sobre ao Bode de Azazel, que é “jogado” de um penhasco nos rituais de sangue que os hebreus fazem anualmente, para repreender Azazel. Enquanto Apolo significa todas as coisas positivas mencionadas acima, a palavra “Apollyon” serve como blasfêmia para o Deus. Apolo também era conhecido por enviar a maldição de gafanhotos sobre seus inimigos, e três imperadores que causaram graves danos ao inimigo estavam intimamente ligados a Apolo. Os cristãos até hoje entendem que a figura de “Apollyon” na Bíblia era um dos “Subordinados de Satanás”, e um Deus muito poderoso que eles também admitem governar Roma, e um império construído pelas “Forças do Inferno”. [10]

Até nos textos inimigos de difamação, Azazel, passando sob o título de “Semihazah” que significa “A Grande Rebelião”, faz um juramento com outros Demónios para que eles levem a cabo a revolta contra a tirania do inimigo, enquanto Azazel diz que ele mesmo assumirá a responsabilidade. Azazel, em oposição à injustiça do inimigo para nos afundar espiritualmente, resistiu. Ele também foi caluniado por proteger a humanidade contra o inimigo. [11] O mesmo também se reflete em como Apolo também se juntou ao resto dos “Olímpicos” contra os “Titãs”, ou espíritos impuros na Gigantomaquia, onde Apolo vai à guerra para defender os outros Deuses.

Independentemente disso, este mito revela que Apolo na verdade “desceu” sobre uma esposa mortal e deu a ela um filho, o nome da mulher sendo intitulado no mito como “Coronis”. [12] O nome “Coronis”, implica a palavra grega para coroa, de modo que é uma alegoria. Azazel em toda literatura inimiga é fortemente atacado por “descer” para ajudar a humanidade. Isso tem a ver com a chegada dos Deuses há muito, muito tempo. É importante saber que Azazel teve um filho com uma esposa física, que mais tarde foi chamado do Semideus chamado Asclépio. Asclépio é o pai da medicina moderna e das artes de cura. O símbolo de Asclépio também é o símbolo de seu pai, a Píton entrelaçada.

Um dos discípulos mais famosos e considerado “Filho” do bendito Deus, foi Apolônio de Tiana. Sobre o mito de Apolônio, que era um milagreiro e homem que alcançou a Divindade, mas também a imortalidade total. Apolônio nunca morreu. Todos os escritos, ensinamentos e instruções de Apolônio foram mais tarde, após copiosa perversão e falsificação, falsamente creditados ao personagem inexistente “Jesus”. Isso inclui ensinamentos como “O Reino de Deus está dentro de si” e outras declarações ocultas. Claro, isso também era de conhecimento comum nas Escolas de Mistérios da época.

O nome de Apolônio significa “Ele de Apolo”, assim ele foi chamado de “Apolônio”. A bondade e o bem de Azazel são grandes, e os presentes que ele concede são numerosos para seus discípulos. Apolônio era conhecido, sem sombra de dúvida, por ter se tornado um Deus, com amplos poderes relacionados a Apolo, como extrema sabedoria, habilidade oracular, níveis divinos de adivinhação, mas também muitos outros poderes. Ele foi reconhecido como um Deus por todos os antigos sacerdócios da época. Ele foi amado por todos e viajou por Roma, Oriente Médio, Extremo Oriente, Índia, Egito e Grécia Antiga, dando ensinamentos, conhecimento espiritual e promovendo o conhecimento místico. Ele foi saudado como um “Deus” vivo. Apolônio era um plebeu – nem rei, nem qualquer outra coisa. No entanto, seu intenso amor por Apolo e sua extrema diligência espiritual lhe concederam toda a glória do mundo conhecido na época. Considerava-se que dentro dele vivia literalmente um aspecto do Deus Apolo.

Apolônio atingiu um nível espiritual que é dos deuses, capaz de todos os tipos de milagres. No “final” de sua vida, ele era tão espiritualmente avançado que foi relatado ser capaz de ressuscitar os mortos, ou fazer o que atualmente chamamos de “Teleportação” ou “Bi-Localização”. Estes ultrapassaram em muito os “milagres” alegados pela fraude de “Jesus”. A enigmática figura de Apolônio, era amada por todos – não importa aonde ele fosse, as pessoas se aglomeravam para ouvir seus sermões, e ele era adorado por todas as pessoas.

Ele espalhou cura e positividade em todos os lugares onde foi. Os líderes da época se curvaram a Apolônio e sua sabedoria maciça, muitos reconhecendo-o como um Deus encarnado, enquanto ainda mais líderes escreveram epístolas para ele. Existem fragmentos sobreviventes de suas respostas a ele. Apolônio deixou para trás uma grande riqueza de conhecimento escrito, que foi queimado e destruído pelo inimigo.

Apolônio foi chamado de “Mago Demoníaco” pela Igreja e foi demonizado. [13]

Em contraste com a farsa judaica de Jesus, que até se afirma que ele foi literalmente apedrejado e “crucificado” pelos Antigos Pagãos da época, Apolônio era realmente acreditado e amado. Por causa da grande influência que Apolônio tinha, a Igreja Cristã destruiu todo o conhecimento e menção sobre Apolônio, e onde não removeu tudo, simplesmente substituiu com a mais baixa calúnia. Apolônio foi chamado de “mágico goético” pela Igreja Cristã Primitiva, e ele foi difamado e ridicularizado em níveis que poucas pessoas o foram. Esta foi uma tentativa de difama-lo, não diferente de como eles fizeram isso aos Deuses literais dos povos antigos.

Ninguém amava “Jesus” de forma alguma – a fraude tinha que ser baseada no sangue dos inocentes, principalmente derramado séculos depois “em seu nome” por imperadores loucos e, claro, o assassinato de reputação dos verdadeiros “Messias”, como Apolônio de Tiana. O império de “jesus” foi construído exclusivamente com sangue.

Assim como Apolônio foi caluniado como homem e substituído por “Jesus”, é claro que Apolo foi caluniado sem parar pelo inimigo. Azazel foi renomeado para um título e, ainda assim, os hebreus até hoje mantêm o ódio e ressentimento especial contra ele.

O nome “Azazel” com o qual o inimigo chama este Deus, é baseado em duas palavras distintas. É apenas um título, e não o verdadeiro Nome da Divindade. Estes eram Azaz e EL. Numerosas interpretações blasfemas foram escritas sobre este Nome como qualquer outro Nome dos Deuses pelo inimigo, mas seu significado permanece claro até mesmo nos dias atuais em árabe das línguas do Oriente Médio.

A palavra “Azaz” se relaciona com significados sobre “poder” ou “poder extremo”. A palavra “EL” significa simplesmente “Deus”, mas normalmente se traduz como “Luz”. No entanto, Deus aqui é uma palavra-código para a luz espiritual. Essas duas palavras juntas, significam o extremo poder e brilho espiritual de Azazel; seu poder da luz. Mais revelado é o poder e alto escalão de Azazel, já que muitos dos textos inimigos se referem a ele como o “Líder das Hostes do Mal”, ou seja, os Deuses. Sua posição de grande importância, como no Panteão Pagão, também é abertamente reconhecida pelo inimigo. O nome de Azazel na literatura inimiga também é descrito como “Azael”, que significa “Aquele que Deus Fortalece”. Esta é uma palavra-código novamente para a luz. Ele também é “condenado” e atacado por dar os “Segredos dos Céus” à humanidade,ou conhecimento espiritual. [14]

Existem poucos Demónios que são tão poderosos quanto Azazel, e Azazel é de alto escalão e leal a Satan, Astarte, Baalzebul e todos os outros Deuses. Também é afirmado que ele é tão importante nesta hierarquia, que o inimigo concentra muitos de seus ataques especificamente em Azazel, porque eles reconhecem seu poder superior e posição mais elevada, mas também como muitos dos Deuses prosperam sob ele. Eles sabem que se “Azazel cair sobre eles”, estará acabado para eles. [15]

Exceto por ser reduzido a um mero “Demónio”, o inimigo é tão insistente em tentar se esconder contra o poder de Azazel que eles dedicaram um de seus feriados religiosos mais importantes [Yom Kippur] em ataque total direto contra o Deus Azazel. Um bode é brutalizado durante essas datas, onde ritos, maldições e abusos são praticados pelos abraâmicos. O bode é deixado desfalecendo para morrer, ou jogado de um penhasco, para ter uma morte lenta e dolorosa. O bode é simbólico tanto das culturas pagãs, mas existem muitas outras mensagens mais enigmáticas neste ataque ritual que é conduzido anualmente pelos abraâmicos. [16]

Apolo, no mundo externo, representa a proteção das crianças e é patrono das crianças e de sua educação. Apolo foi chamado de “Apollo Kourothrophos”, o que significa que ele é o criador e protetor das crianças. Ele foi considerado uma força que os ajuda a crescer até a idade adulta e protege as crianças durante esse período de suas vidas. A “criança” aqui também é uma palavra-código para a nova alma que surge da meditação, crescendo progressivamente e alcançando a iluminação ou maturidade. No mundo linear, ele protege e supervisiona as crianças e seu crescimento, mas também a educação para que se tornem adultos plenos. [17]

Seguidores dos programas barbáricos abraâmicos, pelo motivo acima de tentar escapar da justiça, praticam rituais para tentar se defender do julgamento de Azazel. É para ficar no pensamento dos leitores o porquê disso, conhecendo a história da Igreja Católica, do Vaticano e dos hebreus e sua história milenar de abuso sexual de menores. Maomé, o “profeta” do Alcorão e sua esposa, que tinha menos de 9 anos, têm algo a testemunhar aqui.

Assim como Satanás é repreendido porque seu nome significa “Verdade Eterna” em sânscrito, Azazel é repreendido na oposição do inimigo ao esplendor coletivo e à natureza orientada pela Justiça do Paganismo. As religiões inimigas pregam a ilegalidade, desculpar crimes indefinidamente, dar a outra face e assim por diante.

Azazel também é o distribuidor da Justiça. Embora ele conceda muitos presentes a seus discípulos e ao povo, ele pode ser exatamente o contrário quando se trata dos inimigos dos Deuses. Ele pode trazer calamidades muito sombrias, e por mais brilhante e belo que ele possa ser em seu rosto amoroso, tão sombrias e desoladoras podem ser as maldições que ele lança sobre seus inimigos. O poder de Apolo para amaldiçoar foi simbolizado por seu arco, com o qual ele atirou dardos sobre seus inimigos. Sócrates na obra de Platão se refere a esse poder como seu poder de “lançar dardos” que podem causar grandes danos aos inimigos. [18] Pelo contrário, Apolo é um forte protetor para os Deuses, evitando que o mal os alcance. [19]

Esta estátua é uma das maiores formas de arte que o mundo já viu. Chama-se “Apollo Belvedere” e atualmente reside no Vaticano. Nem o Vaticano conseguiria se passar por uma construção que se preze sem roubar as obras de arte dos Deuses e dos Antigos.

A beleza de Apolo é tão extensa, que a frase “Corpo Apolíneo” ainda é comumente usada para descrever a perfeição estética. Apolo representa um equilíbrio muito forte entre ser um homem, mas ter uma bela graça.

Apolo era regularmente chamado de “Uranios”, que significa “Celestial”, como em Apolo Celeste. O título, fora ser um título espiritual, também aponta para a beleza deste Deus. Durante séculos, Apolo era considerado um dos tipos definitivos de beleza e perfeição humana.

Em nosso mundo moderno, Apolo continua sendo uma grande inspiração para nós, humanos, coletivamente. A missão mais importante da NASA para chegar à Lua foi nomeada como o Deus, Apollo. Foi também a primeira missão bem-sucedida de pousar na Lua. Além de alcançar o céu estrelado dessa maneira, Apolo ainda permanece uma inspiração para aqueles que desejam alcançar o céu em suas almas.

Aqueles que participam da comunhão espiritual com este Deus encontrarão todo o poder brilhando fortemente acima deles.

VIVA AZAZEL!!!

Fontes bibliográficas:

1. Wikipedia, God UTU [Sumerian]

2. Wikipedia sobre Apolo https://en.wikipedia.org/wiki/Apollo – Por outro lado, Apolo também encorajou a fundação de novas cidades e o estabelecimento de uma constituição civil. Ele está associado ao domínio sobre os colonos. Ele era o legislador e seus oráculos eram consultados antes de estabelecer leis em uma cidade.

3. Luke Roman & Monica Roman, “Apollo”, Encyclopedia of Greek and Roman Mythology, 2010

4. HellenicGods.org – Apollo, https://www.hellenicgods.org/the-lyre-of-apollo

5. Ibid 4.

6. Utu as Helper and Rescuer, Section on Sumerian God Utu: https://www.encyclopedia.com/environmen … d-maps/utu

7. Plutarch, “In regards to the Greek Epsilon of Deplhi”

8. O mesmo que 7

9. Da Wikipedia sobre o Deus Lugus – A etimologia exata de Lugus é desconhecida e contestada. A raiz proto-céltica do nome, * lug-, é geralmente considerada como derivada de uma das várias raízes diferentes, como * leug- “preto”, * leuǵ- “quebrar” e * leugʰ- “para fazer um juramento “. Antigamente, pensava-se que a raiz pode ser derivada de proto-indo-europeu * leuk- “brilhar”, mas há dificuldades com esta etimologia e poucos estudiosos modernos a aceitam como sendo possível (notavelmente porque proto-indo-europeu * – k- nunca produziu proto-céltico * -g-).

10. Esta fonte é do inimigo, onde eles casualmente atacam os Deuses, CUIDADO: Christianity.com, “What Is the Apollyon?”, https://www.christianity.com/wiki/chris … llyon.html

11. Livro de Enoque [advertindo, este material é do inimigo – sujo e corrompido, mas é dado apenas como referência]: E Semjâzâ, que era seu líder, disse-lhes: ‘Temo que vocês realmente não concordem em fazer esta acção, e só eu terei que pagar a pena de um grande pecado. E todos eles lhe responderam e disseram: ‘Vamos todos fazer um juramento, e todos nos obrigarmos por mútuas imprecações a não abandonar este plano, mas a fazer isso.’ Então, eles juraram todos juntos e se prenderam por mútuas imprecações sobre isso. (Enoque 6:3-5)

12. Coronis (esposa de Apolo), https://en.wikipedia.org/wiki/Coronis_(lover_of_Apollo)

13. “God On Earth: Apollonius of Tyana”, Kalogerakis Gerasimos, 2009

14. Rosemary Ellen Guiley, “Encyclopedia of Demons and Demonology”, page 20

15. Andrei Orlov, “Azazel as the Celestial Scapegoat”, trechos dos quais foram traduzidos aqui: https://www.marquette.edu/maqom/azazelscapegoat.html O autor do artigo aponta para o livro “Symbola Caelestis. Le symbolisme liturgique et paraliturgique dans le monde Chrétien”.

16. Encyclopedia Britannica, “Azazel” section. A fonte elabora ainda mais: “Depois que o sumo sacerdote transferiu simbolicamente todos os pecados do povo judeu para o bode expiatório, o bode destinado ‘para Azazel’ foi levado para o deserto e lançado em um precipício para a morte. Azazel era a personificação da impureza e em escritos rabínicos posteriores às vezes era descrito como um anjo caído.” https://www.britannica.com/topic/Azazel

17. Wikipedia sobre Apolo https://en.wikipedia.org/wiki/Apollo : “Como protetor dos jovens (corotrofos), Apolo se preocupa com a saúde e a educação das crianças. Ele presidiu sua passagem para a idade adulta.”

18. Plato’s Cratylus, Socrates to Ermogenes about Apollo

19. Pausânias, Descrição da Grécia 6. 24. 6: “Apolo Akesios (Curandeiro): O significado do nome parece ser exatamente o mesmo que o de Alexikakos (Evitador do Mal), o nome corrente entre os atenienses.”

(*) Citados do Senhor Azazel diretamento ao Sumo Sacerdote Hooded Cobra

VOLTAR PARA DEUSES DE ALTO RANQUE E OS PRÍNCIPES COROADOS DO INFERNO

VOLTAR PARA TUDO SOBRE OS DEUSES